Sempre que empresas pensarem em expansão, uma das principais coisas a serem analisadas são os Investimentos Operacionais. Ou seja, deve-se explorar se os mesmos contribuirão para o seu lucro. Isso pode ser através do aumento das Receitas ou pela redução de Custos e Despesas. No entanto, essa expansão pode ser feita de diversas formas, como por exemplo, por Fusões e Aquisições, Holdings e Joint Venture.

Todas as estratégias tem vantagens e desvantagens que afetam de diversas maneiras a competitividade do empreendimento. Para saber qual a melhor estratégia, é preciso entender qual a necessidade e problema que a empresa está enfrentando. Ou seja, só depois disso será possível determinar os resultados que espera obter. Portanto, confira na matéria de hoje, tudo sobre o Joint Venture.

O que é Joint Venture:

Ele é um acordo comercial entre duas ou mais empresas de segmentos iguais ou não, que unem seus recursos para um mesmo fim. Ou seja, durante um período determinado e limitado. Da mesma forma, uma estratégia de Joint Venture empresarial pode estar associado a um novo projeto ou a alguma outra atividade empresarial. Portanto, operações de Joint Venture são utilizadas para inúmeros fins. Como por exemplo, logísticos, industriais, tecnológicos, comerciais e muito mais. A estratégia é utilizada com a finalidade de acelerar a expansão dos negócios. Em outras palavras, ao unirem seus recursos, as empresas tem acesso a opções que antes não existiam. Além de ingressarem em novos mercados, em caso de empresas de outros segmentos.

No entanto, é importante ressaltar que esse tipo de operação não trazem apenas benefícios e lucratividade. Ou seja, como o próprio nome diz, Joint significa Junto e Venture significa risco. Portanto, nessa associação temporária também são compartilhados riscos, cuscos e prejuízos.

Por que pensar nessa operação?

A lógica por trás disso é: empresas avaliam as chances de sucesso e rentabilidade trabalhando em conjunto. Ou seja, com a estratégia de Jont Venture empresarial as empresas envolvidas complementam umas as outras, melhorando seu desempenho nas áreas que estavam em deficit. Além disso, o mesmo pode ser feito com produtos. O que oferece uma oferta muito melhor e mais ampla aos clientes.

São duas as formas das empresas se unirem para essa estratégia:

  • Joint Venture Contratual – Sem a formação de uma nova empresa,
  • Joint Venture Societária – Com a criação de uma nova empresa com personalidade jurídica.

Entenda a diferença dessas duas formas de Joint Venture:

Contratual

Esse é um acordo onde as partes se unem para um determinado projeto ou negócio. Ou seja, como o nome sugere, assinando um contrato descrevendo os termos. As partes trabalham em parceria, dividindo lucros e despesas de acordo com os termos do contrato.

Societária

Aqui é feita a criação de uma nova empresa (identidade jurídica). Portanto é realizado um projeto ou empreendimento comum. Da mesma forma, a Joint Venture Societária é muito parecida com uma parceria comercial. No entanto, possuem uma diferença fundamental: Aqui, é realizado uma unica transação comercial, diferente da parceria comercial, que geralmente é feita com um relacionamento comercial contínuo e de longo prazo.

Cada empreendedor, deve avaliar qual a melhor opção para o sucesso de sua empresa. Além disso, é fundamental que um plano de negócios com definições métricas seja criado. Assim como estratégias, metas e os objetivos a serem atingidos. Da mesma forma, é de suma importância a análise do planejamento orçamentário. É através disso que será possível verificar se esse negócio será bom e de rentabilidade para todas as partes envolvidas.

Em caso de dúvidas, nossa equipe de advogados com vasta experiencia no assunto, está a sua disposição. Entre em contato conosco e obtenha cada vez mais sucesso profissional.